Wednesday, September 03, 2008

Cançoes da Vendetta (1)

Texto das badanas da segunda edição de Canções da Córsega,
Sintra, Museu Ferreira de Castro, Cãmara Municipal, 1994


Em 7 de de Abril de 1934, um sábado, O Século dava a conhecer aos seus leitores «A Vida Fantástica de André Spada, "bandido de honra"». Era o último trabalho da série «Uma Reportagem na Córsega», que Ferreira de Castro vinha a publicar naquele diário.
Poucos dias depois, o autor do recente Terra Fria entrava no gabinete de João Pereira da Rosa e pedia-lhe uma licença sem vencimento ilimitada. Corria pelos cafés e redacções do Bairro Alto que um empréstimo contraído oficialmente enfeudaria O Século à Situação, de forma irremediável.
«Pensi logo em sair dali.», escreveu Castro quarenta anos mais tarde, em «Origem de "O Intervalo"». Havia já oito anos que a liberdade findara, explicou, «e eu não desejava servir um novo altifalante da autocracia que no-la tinha suprimido.»
(continua)